Condição provocada pelo excesso de base (álcali) nos líquidos do corpo. A alcalose é o oposto do excesso de ácido (acidose) e pode ser causada por diferentes condições.

Causas, incidência e fatores de risco:

Os pulmões e os rins regulam o estado ácido/base do corpo. A diminuição do nível de dióxido de carbono ou o aumento do nível de bicarbonato criam um estado alcalino em excesso chamado de alcalose.

A alcalose respiratória é ocasionada pela diminuição nos níveis de dióxido de carbono. A hiperventilação (aumento da frequência respiratória) faz com que o corpo perca dióxido de carbono. A altitude ou uma doença que cause uma redução de oxigénio no sangue obriga o indivíduo a respirar mais rápido, reduzindo os níveis de dióxido de carbono e ocasionando a alcalose respiratória.

A alcalose metabólica é causada pelo excesso de bicarbonato no sangue, e a alcalose hipoclorémica é causada por uma deficiência ou perda extrema de cloreto (que pode ser devido a vómitos prolongados). Os rins compensam a perda de cloreto através da conservação de bicarbonato.

A alcalose hipocalémica é causada pela reação dos rins a uma deficiência ou perda extrema de potássio, que pode ser provocada pelo uso de alguns medicamentos diuréticos.

A alcalose compensada é causada quando há uma compensação parcial da alcalose pelo corpo, retornando o equilíbrio ácido/base ao estado normal mesmo quando os níveis de bicarbonato e dióxido de carbono permanecerem anormais.

Sintomas:

  • confusão (pode progredir para estupor ou coma)
  • contração espasmódica muscular
  • tremor das mãos
  • espasmos musculares prolongados (tetania)
  • náusea, vómitos
  • entorpecimento ou formigamento no rosto ou nas extremidades
  • tontura leve

Sinais e exames:

  • os exames de pH indicam alcalose ou acidose
  • os exames dos níveis de dióxido de carbono e bicarbonato indicam a causa da alcalose ou da acidose, quer sejam respiratórias (relacionadas ao pulmão) ou metabólicas (relacionadas com o rim).

Alguns desses exames são:

  • gasometria do sangue arterial (ou gasometria do sangue venoso)
  • urina tipo I
  • papel de tornassol (exames para detectar a presença de açúcar na urina)
  • pH da urina
  • chem-20

Tratamento:

Normalmente é a causa da alcalose que é tratada, e não o pH diretamente. O tratamento específico depende da causa. Nos casos de alcalose provocada por hiperventilação, respirar dentro de um saco de papel permite reter mais dióxido de carbono. Além disso, pode-se administrar oxigénio.

Pode ser necessária a prescrição de medicamentos para corrigir as perdas químicas (cloreto, potássio, etc.), além da monitorização dos sinais vitais (temperatura, pulso, frequência respiratória, pressão sanguínea).

Expectativas (prognóstico):

A maioria dos casos de alcalose responde bem ao tratamento.

Complicações:

  • coma
  • arritmias
  • desequilíbrio de eletrólitos (como a hipocalemia)

Solicitação de assistência médica e farmacêutica:

Procure assistência médica se a pessoa ficar confusa, se não for capaz de se concentrar ou se não for capaz de “prender a respiração”.

Vá para o hospital ou ligue para o número de emergência médica (como o 112) se a pessoa desmaiar (perder os sentidos), apresentar intensa dificuldade respiratória ou convulsões, ou se a piora dos sintomas de alcalose ocorrerem de forma rápida e progressiva.

Prevenção:

A prevenção depende da causa da alcalose. Os indivíduos com rins e pulmões saudáveis normalmente não apresentam uma alcalose significativa.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAlbinismo
Próximo artigoAlcalose respiratória