Disfunção erétil; impotência; disfunção sexual masculina.

É a incapacidade de alcançar ou manter uma ereção do pénis que seja firme o suficiente para um homem ter uma relação sexual satisfatória. É possível que o homem não seja capaz de conseguir uma ereção em absoluto ou que a perca durante a relação sexual antes de estar pronto. Se a condição persistir, o termo médico é disfunção erétil.

Considerações gerais:

Os problemas de ereção são comuns em homens adultos. Na verdade, praticamente todos os homens experimentam uma dificuldade ocasional em atingir ou manter uma ereção. Em muitos casos, esta é uma condição temporária que desaparece com pouco ou nenhum tratamento. Em outros casos, pode ser um problema permanente que pode danificar a autoestima do homem e afetar o seu relacionamento e, portanto, exige tratamento.

Se tem dificuldade em atingir ou manter uma ereção mais de 25% do tempo, é considerado como um problema.

No passado acreditava-se que os problemas de ereção estavam “todos na mente do homem”. Geralmente, os homens recebiam um conselho que pouco ajudava como “não se preocupe” ou “simplesmente relaxe que isso passa”. Na atualidade, os médicos acreditam que quando o problema não é temporário ou não se resolve por si mesmo, geralmente a causa são fatores físicos.

Uma forma de saber se a causa é física ou psicológica é determinar se tem ereções noturnas. Normalmente, os homens têm 3 a 5 ereções por noite, cada uma das quais dura cerca de 30 minutos. O seu médico pode explicar ao paciente como conduzir um teste para ver se ter o número normal de ereções noturnas.

Na maioria dos homens, as dificuldades de ereção não afetam a libido.

A ejaculação precoce (quando o orgasmo chega demasiado depressa) é diferente da impotência. Juntamente com a(o) sua(seu) parceira(o), deve procurar aconselhamento para este problema, que geralmente é devido a fatores psicológicos.

A infertilidade masculina também é bastante diferente da impotência. Um homem que não é capaz de manter uma ereção pode ter um desempenho perfeitamente normal em outras situações e pode ser muito capaz de produzir espermatozóides que possam fecundar um óvulo. Um homem infértil pode ser capaz de ter relações sexuais normalmente, mas pode ser incapaz de gerar um filho devido a problemas com a contagem de esperma ou outros fatores.

Causas comuns:

Uma ereção requer a interação do cérebro, nervos, hormonas e vasos sanguíneos. Qualquer coisa que interfira com o processo normal pode levar a um problema.

As causas comuns dos problemas de ereção incluem:

  • Doenças e condições tais como diabetes, hipertensão arterial, doenças cardíacas e problemas de tiroide, má circulação, depressão ou distúrbios neurológicos (como a esclerose múltipla ou a doença de Parkinson)
  • Medicamentos, por exemplo, para a pressão arterial (especialmente betabloqueadores), para o coração (por exemplo, digoxina), alguns medicamentos para tratar úlceras pépticas, comprimidos para dormir e antidepressivos
  • Danos nos nervos causados ​​pela cirurgia da próstata
  • Consumo de nicotina, álcool ou cocaína
  • Má comunicação com a(o) sua(seu) parceira(o)
  • Sentimentos repetitivos de dúvida e fracasso, ou comunicação negativa que reforça os problemas de ereção
  • Lesão medular
  • Stress, ansiedade, medo ou raiva
  • Expectativas sexuais irrealistas, que tornam o sexo uma tarefa ao invés de um prazer

Os problemas de ereção tendem a ser mais comuns à medida que se envelhece, mas podem afetar os homens em qualquer idade e em qualquer momento das suas vidas. As causas físicas são mais comuns em homens mais velhos, enquanto as causas psicológicas são mais comuns em homens mais jovens.

Níveis baixos de testosterona raramente levam a problemas de ereção, mas podem reduzir a libido de um homem.

Cuidados em casa:

Para muitos homens, as mudanças no seu estilo de vida podem ajudar:

  • Reduzir o consumo de tabaco, álcool e drogas ilícitas
  • Descansar bastante e ter tempo para relaxar
  • Praticar exercício físico e comer de uma forma saudável para manter uma boa circulação
  • Praticar sexo seguro, reduzindo o medo de contrair VIH e DSTs (doenças sexualmente transmissíveis)
  • Falar abertamente com a(o) sua(seu) parceira(o) sobre sexo e o relacionamento. Se não conseguir fazer isso, procure aconselhamento profissional que possa ajudar.

Os casais que não conseguem falar entre si são propensos a ter problemas com a intimidade sexual. Os homens que têm dificuldade para comunicar os seus sentimentos podem ter dificuldade de compartilhar com a(o) parceira(o) qualquer ansiedade sobre o seu desempenho sexual. Nestas circunstâncias, o aconselhamento pode ser muito útil para si e para a(o) sua(seu) parceira(o).

Solicite assistência farmacêutica e médica se:

Consulte o médico se:

  • O problema não desaparece com as medidas de cuidados pessoais. Estão disponíveis tratamentos eficazes.
  • O problema começa depois de uma lesão ou cirurgia da próstata.
  • Apresenta outros sintomas como dor nas costas, dor abdominal ou mudanças na micção.

Se os problemas de ereção parecem ser causados por um medicamento que está a tomar para uma condição sem relação com o problema, consulte o seu médico. Você pode beneficiar de uma redução da dose ou mudando para outro medicamento com o mesmo resultado, mas que não possua os mesmos efeitos secundários. NÃO altere ou pare de tomar qualquer medicação sem consultar o seu médico ou farmacêutico.

Converse com o médico se os problemas de ereção estão relacionados com o medo de problemas cardíacos recorrentes. As relações sexuais geralmente são seguras nestas circunstâncias.

Consulte imediatamente o seu médico ou dirija-se às urgências mais próximas se a medicação para os problemas de ereção lhe der uma ereção indesejada que dura mais de quatro horas. A impotência permanente ou um dano duradouro para o pénis pode resultar desta condição.

O que esperar na consulta:

O médico irá realizar um exame físico, que provavelmente irá incluir:

  • Uma análise do fluxo de sangue (circulação)
  • Exame do pénis
  • Exame neurológico
  • Exame retal

Para ajudar a diagnosticar a causa, o médico irá fazer perguntas sobre os antecedentes médicos, tais como:

  • Foi capaz de atingir e manter ereções anteriormente?
  • A dificuldade consiste em atingir ou em manter uma ereção?
  • Tem ereções durante o sono?
  • Há quanto tempo é que tem dificuldades de ereção?
  • Que medicamentos é que está a tomar (com prescrição médica, sem prescrição ou drogas psicoativas)?
  • Fuma? Quanto é que fuma diariamente?
  • Consome álcool? Que quantidade?
  • Fez recentemente uma cirurgia?
  • Realizou uma cirurgia ou outros tratamentos para os vasos sanguíneos?
  • Está deprimido?
  • Tem algum medo ou preocupação?
  • Sofre de stress?
  • Diminuiu o seu nível de energia?
  • Está a dormir bem todas as noites?
  • Tem medo da atividade sexual por causa de problemas físicos?
  • Houve alguma mudança recente na sua vida?
  • Que outros sintomas é que tem?
  • Notou mudanças nas sensações do seu pénis?
  • Tem algum problema com a micção?

Entre os exames que podem ser realizados estão incluidos:

  • Exames de sangue, incluindo hemograma completo, provas metabólicas, níveis hormonais, antígeno específico da próstata
  • Testes neurológicos
  • Tumescência peniana noturna (TPN) para verificar se há ereções noturnas normais
  • Ecografia peniana para detetar problemas vasculares ou circulatórios
  • Testes psicométricos
  • Monitorização da rigidez
  • Análise da urina

O tratamento pode depender da causa. Por exemplo, se o problema for causado por um desequilíbrio hormonal, serão prescritos medicamentos para tratar o distúrbio endócrino subjacente. No entanto, o mesmo tratamento pode ser usado para muitas causas diferentes. Consulte o seu médico para obter a avaliação e gestão apropriadas ao seu caso.

Atualmente existem muitas opções de terapia que incluem medicamentos orais, injeções no pénis, medicamentos introduzidos na uretra (canal urinário), dispositivos de vácuo e cirurgia. Para tratar, de modo efetivo, a disfunção erétil o paciente deve estar ciente e confortável com os possíveis efeitos colaterais e complicações que podem ocorrer com cada terapia.

O sildenafil, o vardenafil e o tadalafil são medicamentos com prescrição para dificuldades de ereção causadas por problemas físicos ou psicológicos. Os medicamentos só funcionam quando um homem está sexualmente excitado e o seu efeito é normalmente observado ao fim de 15 a 45 minutos.

Estes fármacos são chamados de inibidores de fosfodiesterase 5 (PDE5, pela sua sigla em inglês).

Embora estes medicamentos sejam extremamente populares, não melhoram a ereção se o homem não for impotente e apresentam efeitos secundários, que podem ser tão graves como um ataque cardíaco ou tão ligeiros como uma dor muscular ou rubor facial.

Estes fármacos não devem ser utilizados ​​junto com alguns medicamentos, incluindo a nitroglicerina. Quando tomados com nitroglicerina, a pressão arterial de um homem pode tornar-se perigosamente baixa. De facto, alguns homens morreram depois de tomar esses medicamentos junto com nitroglicerina.

Os inibidores da fosfodiesterase-5 devem ser usados com cuidado se apresenta algum dos seguintes problemas:

  • AVC (Acidente vascular cerebral) recente
  • Doença cardíaca grave, angina instável, enfarte do miocárdio recente ou arritmia
  • Insuficiência cardíaca grave
  • Hipertensão não controlada (pressão arterial elevada)
  • Diabetes não controlada
  • Pressão arterial muito baixa (hipotensão)

Se os comprimidos não funcionam, há outras opções disponíveis, tais como as seguintes:

  • Pode ser prescrita a reposição de testosterona utilizando adesivos na pele, gel tópico ou injeções intramusculares se o seu nível de insulina no sangue é baixo.
  • Um medicamento chamado alprostadil, que é injetado no pénis ou inserido na uretra, melhora o fluxo sanguíneo do pénis, e geralmente funciona melhor do que os medicamentos orais.
  • Pode usar um dispositivo de vácuo externo para fazer chegar o sangue até ao pénis. Em seguida, deve usar uma faixa de borracha especial para manter a ereção durante a relação sexual.
  • Para alguns pacientes, também se pode recomendar ou requerer um implante (prótese) peniano colocado cirurgicamente.

Muitas ervas e suplementos dietéticos são comercializados para ajudar com o desempenho ou desejo sexual. Existem várias preocupações especiais com as pessoas que tomam remédios alternativos para a disfunção erétil. Além disso, não se demonstrou de que qualquer desses remédios fosse eficaz no tratamento deste problema.

Consulte o médico para verificar se qualquer um destes tratamentos é apropriado para si.

Farmácia Saúde Farmacia Saude

COMPARTILHAR
Artigo anteriorProblemas da língua
Próximo artigoPrognatismo