Coceira na área vaginal; prurido vulvar; prurido na vulva.

É uma coceira ou irritação da pele da vagina, e da área circundante (vulva). O prurido pode provocar um desejo de coçar a área afetada.

Causas comuns:

As causas mais comuns de prurido vaginal são, entre outras:

  • Irritantes químicos: como detergentes e amaciadores de roupa, sprays femininos, pomadas, cremes, duches e espumas anticoncepcionais ou geleias.
  • Menopausa: a diminuição dos níveis do estrogénio provoca o afinamento da parede vaginal e diminui a lubrificação.
  • Stress: pode aumentar a coceira vaginal e tornar a mulher mais suscetível a infecções.
  • Candidíase vaginal: muitas vezes inclui uma secreção branca semelhante a leite coalhado. Estas infecções podem ser causadas por antibióticos, pílulas anticoncecionais, menstruação, gravidez, uso de preservativos, relações sexuais, diabetes e um sistema imunológico enfraquecido.
  • Vaginite: inflamação, prurido, secreção e odor causados por outras infecções (incluindo as doenças sexualmente transmissíveis). A vaginite é comum em crianças pequenas do sexo feminino antes da puberdade. No entanto, se uma criança do sexo feminino tem uma infecção vaginal de transmissão sexual, essa situação deve ser considerada como abuso sexual e tratada como tal.

Outras causas possíveis, mas menos comuns de prurido vaginal ou vulvar incluem:

  • Determinadas condições de pele que afetam a pele vulvar, algumas das quais podem ser pré-cancerosas
  • Oxiurose (uma infecção parasitária que afeta principalmente crianças)

Cuidados em casa:

Para prevenir e tratar o prurido vaginal recomenda-se:

  • Evite papel higiénico perfumado ou de cor, e os banhos de espuma.
  • Evite duches vaginais e sprays para a higiene íntima feminina.
  • Mude a roupa molhada, especialmente os fatos de banho e a roupa desportiva para fazer exercício, o mais rapidamente possível.
  • Limpe ou lave a área da frente para trás (da vagina ao ânus) após urinar ou defecar.
  • Comer iogurte com culturas vivas ou tomar comprimidos lactobacillus acidophilus ao utilizar antibióticos. É recomendado consultar o médico.
  • Mantenha a sua área genital limpa e seca, e utilize sabonetes naturais sem perfume.
  • Mantenha os níveis de açúcar no sangue sob controlo, no caso de ter diabetes.
  • Perca peso, caso tenha excesso de peso.
  • Use roupa interior de algodão ou meias-calças com entrepernas de algodão. Evite a roupa interior fabricada com materiais sintéticos. No caso dos bebés e das crianças que começam a caminhar, deve-se trocar as fraldas com bastante frequência.

Também se recomenda:

  • Evite o esforço excessivo, o calor e a transpiração excessiva.
  • Evite coçar a área afetada, pois isso só piora o problema.
  • Deve suspender a atividade sexual até que os sintomas melhorem, ou usar um lubrificante durante a relação sexual.
  • Use preservativos para evitar o contágio ou a propagação de doenças sexualmente transmissíveis.

Se sabe que tem uma infecção por candidíase vaginal, porque os sintomas são os mesmos que já teve anteriormente, tente utilizar cremes ou supositórios vaginais que não necessitem de prescrição médica.

As infecções fúngicas não são consideradas doenças sexualmente transmissíveis. No entanto, às vezes os homens também desenvolvem coceira e vermelhidão após a relação sexual. Se este for o caso ou se a pessoa tiver infecções recorrentes por razões pouco claras, consulte o seu médico já que ambos os membros do casal podem necessitar de tratamento.

Para o prurido vaginal relacionado com a menopausa, o médico pode recomendar creme vaginal com estrogénio ou óvulos vaginais.

As crianças devem ser ensinadas a resistir e a denunciar qualquer tentativa de contacto sexual por parte de outra pessoa. Não tente remover qualquer objeto estranho da vagina de uma criança do sexo feminino e leve-a imediatamente ao médico para que este remova o objeto.

Solicite assistência farmacêutica e médica se:

Marque uma consulta com o médico imediatamente se:

  • Tem aumento da sede ou do apetite, perda de peso inexplicável, micção frequente ou fadiga, uma vez que estes podem ser sinais de diabetes.
  • Tem febre e dor abdominal na zona do baixo ventre.

Além disso, contacte o seu médico se:

  • Tem bolhas ou úlceras na vagina ou vulva.
  • Tem ardor ao urinar ou outros sintomas urinários, pode ser uma infecção urinária.
  • Apresenta sangramento vaginal, inflamação ou fluxo pouco usual.
  • O outro membro do casal também tem sintomas ou suspeitar que pode ter uma DST (doença sexualmente transmissível).
  • Os sintomas pioram, persistem mais de uma semana, ou reaparecem, apesar das medidas de tratamento.

O que esperar na consulta:

O médico irá examinar, incluindo um exame pélvico e fazer perguntas para ajudar a diagnosticar a causa do prurido vaginal. Estas perguntas podem incluir:

  • Quando foi que a coceira começou?
  • Teve prurido vaginal anteriormente?
  • O prurido é grave?
  • Está a limitar as suas atividades?
  • Onde é que se localiza exatamente a coceira? No interior da vagina ou também no exterior da vagina (vulva)?
  • Com que frequência é que toma banho ou duche?
  • Usa sabonete perfumado, papel higiénico colorido ou perfumado ou toma banhos de espuma?
  • Pratica com frequência natação ou participa de desportos aquáticos? Muda as suas roupas logo após tais atividades?
  • Usa roupa interior de algodão ou de materiais sintéticos?
  • Usa calças apertadas ou meias-calças apertadas?
  • Usa duches vaginais ou sprays de higiene íntima feminina?
  • É sexualmente ativa? Usa contraceção? De que tipo?
  • Existe algo que a faça sentir melhor?
  • Existe algo que a faça sentir pior?
  • Já experimentou usar algum tipo de cremes? Quais?
  • Tem outros sintomas como sangramento vaginal, erupções, inflamação ou dor ao urinar?
  • Tem antecedentes pessoais ou familiares de diabetes?
  • Quais os medicamentos que toma?
  • Como é que são os seus períodos menstruais? Que idade tinha quando teve o seu primeiro período? Com que frequência é que os seus períodos geralmente vêm? Quanto tempo é que duram?
  • Tem algum tipo de alergia?

Alguns exames de diagnóstico que podem ser realizados incluem:

  • Cultura e exame microscópico da secreção vaginal
  • Teste de Papanicolau
  • Biópsia da pele da região vulvar
  • Análises de urina e exames de sangue (incluindo os níveis de hormonas)

O médico pode prescrever medicamentos, tais como:

  • Antibióticos para infecções vaginais bacterianas, incluindo as doenças sexualmente transmissíveis
  • Antifúngicos para infecções fúngicas
  • Benzodiazepinas ou anti-histamínicos para alívio noturno
  • Pomadas que contenham hormonas
  • Cremes ou loções com esteroides para reduzir a inflamação

Farmácia Saúde Farmacia Saude

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPrurido
Próximo artigoPúrpura