Gaguez e crianças; falta de fluência na linguagem; gaguejar.
 
É um distúrbio da fala na qual os sons, as sílabas ou as palavras se repetem ou duram mais tempo do que o normal. Esses problemas causam uma rutura no fluxo da linguagem (chamado de difluência ou falta de fluidez).
  
Causas, incidência e fatores de risco:
Aproximadamente 5% das crianças (1 em cada 20 crianças) com idades entre os 2 e os 5 anos desenvolvem algum tipo de gaguez na infância, a qual pode durar desde algumas semanas até vários anos.
Para um pequeno número de crianças (menos de 1%), a gaguez não desaparece e pode piorar. Isso é denominado de gaguez do desenvolvimento e é o tipo mais comum.
A gaguez tende a ser hereditária e foram identificados os genes que a causam.
Há também evidências de que a gaguez pode ser o resultado de algumas lesões cerebrais, como lesões cerebrais traumáticas ou acidente vascular cerebral.
A gaguez raramente pode ser causada por um trauma emocional (chamada de gaguez psicogénica).
A gaguez é mais comum em meninos do que em meninas e também tende a persistir na vida adulta com mais frequência em homens do que em mulheres.
  
Sintomas:
A gaguez pode começar com a repetição de consoantes (k, g, t). Se a gaguez piorar, são repetidas palavras e frases.
Mais tarde, desenvolvem-se espasmos vocais. Há um som forçado e quase explosivo para o discurso. Pode parecer que a pessoa se está a esforçar para falar.
As situações sociais geradoras de stress e a ansiedade podem piorar os sintomas.
Os sintomas da gaguez podem incluir:
  • Sentir-se frustrado ao tentar comunicar
  • Pausar ou hesitar no início ou durante as orações, frases ou palavras, com frequência com os lábios juntos
  • Introduzir (interjeição) sons ou palavras extras (“fomos à… uh… à loja”)
  • Repetir os sons, palavras, partes de palavras ou frases (“eu quero… eu quero a minha boneca”, “eu… eu vejo” ou “eu po-, po-, posso”)
Outros sintomas que podem ser vistos com a gaguez incluem:
  • Piscar de olhos
  • Movimentos involuntários da cabeça ou de outras partes do corpo
  • Movimento espasmódico da mandíbula
As crianças com gaguez leve muitas vezes não têmconsciência do seu problema. Em casos mais graves, as crianças podem ser mais conscientes.
Podem ocorrer movimentos faciais, ansiedade e aumento da gaguez quando lhes pedem para falar.
Algumas pessoas que gaguejam descobrem que não o fazem quando leem em voz alta ou cantam.
  
Sinais e exames:
Geralmente não é necessário efetuar nenhum exame. O diagnóstico de gaguez pode exigir uma consulta com um fonoaudiólogo.
  
Tratamento:
Não existem terapias perfeitas para o tratamento da gaguez.
A maioria dos casos prematuros dura pouco e desaparece espontaneamente.
A terapia da fala pode ser utilizada se:

  • A gaguez dura mais de 3 a 6 meses ou o “bloqueio” da fala dura vários segundos
  • A criança parece estar a lutar quando gagueja ou se sente envergonhada
  • Existem antecedentes familiares de gaguez
A fonoaudiologia pode ajudar a tornar o discurso mais fluido ou suave para a criança se sentir melhor a respeito da sua gaguez.
Os pais são incentivados a:

  • Evitar expressar demasiada preocupação sobre a gaguez, o que pode levar a que a questão realmente piore, ao tornar a criança mais inibida
  • Evitar situações de stress social, na medida do possível
  • Escutar pacientemente a criança, fazer contacto visual, não interromper e demonstrar amor e aceitação. Evitar terminar as frases da criança.
  • Ter algum tempo disponível para conversar com a criança
  • Falar abertamente sobre a gaguez quando a criança o mencione, deixando-a saber que entende a sua frustração
  • Falar com o terapeuta da fala acerca de quando é que deve gentilmente corrigir a gaguez
A terapia farmacológica para a gaguez não demonstrou ser útil.
Não está claro se os dispositivos electrónicos ajudam com a gaguez.
Os grupos de autoajuda são muitas vezes úteis para a criança e para a família.
  
Expetativas (prognóstico):
Na maioria dos casos das crianças que gaguejam, a fase é passageira e a fala retorna ao normal ao fim de 3 ou 4 anos. A gaguez, que começa depois que a criança tem mais de 8 a 10 anos é mais propensa a perdurar durante a vida adulta.
  
Complicações possíveis:
As possíveis complicações da gaguez incluem problemas sociais causados pelo medo do ridículo, o que pode levar uma criança a evitar falar por completo.
  
Solicitação de assistência médica e farmacêutica:
Consulte o médico se:
  • A gaguez está a interferir com o desenvolvimento emocional ou o rendimento escolar da criança
  • A criança parece ansiosa ou sente vergonha ao falar
  • Os sintomas duram mais de 3 a 6 meses
  
Prevenção:
Não existe nenhuma forma de prevenção conhecida para a gaguez.

Farmácia Saúde Farmacia Saude

COMPARTILHAR
Artigo anteriorVisita Grupo Racine do Brasil
Próximo artigoGangrena